Press "Enter" to skip to content

Mini franquia é opção de investimento na crise

0

A mini franquia já é uma tendência forte no franchising brasileiro. O formato enxuto e investimento de uma mini franquia é acessível e chamam a atenção. Elas vem permitindo com que empreendedores com pouco capital possam atuar em um negócio estruturado, com marca e know how para operação e gestão do negócio e mais importante, com maiores chances de permanecer no mercado, não fazendo parte da estatística de mortalidade dos negócios independentes onde 80% desaparecem nos 10 primeiros anos de operação.

Baixo Investimento

Jeferson Guardezi, Cerveja.me (Foto: Sebrae)
“Uma das vantagens de uma mini franquia é o baixo investimento inicial, diminuindo o risco. Esse cuidado é muito importante para o período da crise.”
Tem como principal característica o baixo investimento, que deve ser de até 90 mil reais, e custo operacional reduzido. A média de investimento inicial nesse tipo de negócio fica entre 44,1 mil reais e 54,4 mil reais, conforme estabelecido pelo Guia de Orientação da ABF em parceria com o Sebrae. Mas isso não quer dizer que o negócio tem baixa lucratividade. Muito pelo contrário: ele pode gerar ótimos resultados de acordo com a dedicação do empreendedor.
Segundo a ABF, a maior parte das mini franquias têm retorno do investimento inicial em um prazo de 12 a 18 meses. Já o pró labore médio dos franqueados do modelo fica entre 2 mil reais e 4 mil reais mensais.

Ser seu próprio patrão

Várias redes de mini franquia oferecem a possibilidade de operar o negócio no homebased (trabalhar em casa).

A contratação de funcionários não é uma exigência e próprio franqueado deve executar o papel de gestor e operador do negócio. Não basta apenas liderar e definir estratégias, é preciso também estar na operação, executando tarefas. O novo franqueado deve entender bem qual o trabalho que deverá desempenhar para não se decepcionar depois.
Mini Franquia Cerveja.me

Operação de uma mini franquia

A micro franquia funciona como as demais franquias o que muda é o seu porte e a complexidade da operação, estas são geralmente operadas por uma única pessoa, o próprio empreendedor que investiu no negócio e muitas não precisam de ponto para o seu funcionamento, por exemplo, as franquias de reforço escolar onde o professor é o próprio franqueado que vai até a casa do cliente.

Da mesma forma também segue padrões e regras pré-definidas pela empresa franqueadora e trabalham com contrato de franquia obedecendo a Lei 8.955.

Saiba mais no site do Sebrae

Comments are closed.